A Frenética Bangkok

8 comments

A terra dos contrastes é uma vibrante cidade de 10 milhões de habitantes. Da janela do avião dá para notar que os bairros modernos, com prédios altos e iluminados, estão na verdade envoltos de campos de arroz. Nas ruas de Bangkok, o trânsito é caótico, embalado pelos famosos tuk tuks e um enxame de motocicletas. Se por um lado a cidade cultiva um forte apelo religioso, por outro perde a compostura nos tradicionais cabarés, onde as tailandesas exploram a nudez nas mais diferentes piruetas. O ringue esquenta diariamente com exibições de muay-thai, a arte macial tailandesa que virou esporte nacional.
 
Os templos budistas em Bangkok são onipresentes. Chamados na língua local de “wat”, é possível deparar-se com algum onde quer que se vá pela cidade. Com nomes complicados e arquitetura singular, são em sua maioria uma homenagem a Buda, que com sua beleza sublime, conseguem encantar até mesmo adeptos de outras religiões. Suas características mais marcantes são os telhados pontiagudos, sempre bem trabalhados em camadas. Além deles, há os chedis ou estupas, espécies de sino que guardam as relíquias mais sagradas do templo.

Wat Pho e o mais antigo, construído no século XVI. Ele abriga um dos maiores budas deitados do mundo, recoberto em chapa dourada. Ao seu redor, 394 imagens em bronze de budas remanescente da antiga capital Sukhothai. Wat Pho é também conhecido pelo centro de massagem tailandesa, praticada por monges que se dedicam a vida inteira ao estudo desta terapia. Outro local excelente para a massagem típica é o Healthy Land, uma rede de spas com ótima estrutura e preços incríveis: 2 horas à partir de USD 10.
 
Wat Arun está às margens do rio Chao Phraya e é minuciosamente revestido de retalhos de cerâmica colorida, herança dos navios chineses que aportavam na baía de Bangkok. Há ainda o Wat Ratchanatda, com seus belos jardins e o Wat Benjamabophit, também conhecido como templo de mármore.
 
O mais belo templo de Bangkok é o Wat Phra Kaew, que abriga a imagem mais importante do budismo tailandês, o Emerald Buddha. Conta a lenda que o Buda foi esculpido em jade verde, ao contrário do que pensava ser esmeralda no século IV a. C e passou ileso depois de percorrer todo o sudeste asiático entre guerras diversas. O templo faz parte do complexo do Grand Palace, o espetacular palácio real, com suas construções coloridas e ricamente decoradas.
 
A cozinha tailandesa é famosa por pratos aromáticos. Frutos do mar grelhados com especiarias exóticas são as bases desta culinária que é considerada por muitos como afrodisíaca. Embora inúmeros restaurantes sofisticados estejam espalhados pela capital, a melhor sugestão é degustar uma das milhares opções de comidas de rua, ao jeito tradicional dos locais.
o tradicional Pad Thai
 
O artesanato tailandês é riquíssimo e vale à pena gastar boas horas, no mercado Chatuchak. Um pouco mais distante da cidade, mas também imperdível é o mercado flutuante Damnoen Saduak, onde os produtores rurais negociam vegetais, frutas e hortaliças enquanto navegam no rio, transformando-o num curioso mercado ambulante, cercado de canoas de gente que compra e vende.
 
Para hospedagem em Bangkok, a região de Silom é tradicional, relativamente próxima aos atrativos e muito bem servida de transporte público, seja ônibus, metrô ou barco. O hotel Centre Point Silom tem quartos novos e com ótima vista da cidade, com diárias à partir de USD 60.00.
 
A Tailândia não exige visto de brasileiros, basta apresentar passaporte com validade mínima de 6 meses, vacina contra a febre amarela e comprovante de hotel. Para se chegar lá, Singapore Airlines, Emirates, South African e Air France fazem o trecho com conexões nas respectivas capitais onde possuem base, à partir de R$ 3.500.
A melhor época para ir à Tailândia é de novembro a abril, quando a temperatura está mais amena e os dias mais claros. Nos demais meses, além do calor forte, a alta umidade torna a sensação térmica ainda pior, aumentando também o risco de intoxicação por alimentos e picadas de insetos.
Aproveite para ler também as dicas de viagens para:
E ainda, concilie sua viagem à Tailândia com um dos seus países vizinhos Myanmar e Camboja. Veja também outros destinos da Ásia.

8 comentários:

Tânia Barreira disse...

Adoro a arquitectura oriental, é tão trabalhada colorida e fascinante que me pesco só a olhar para as fotos!

Manu disse...

Ai Fê, sou A-PAI-NO-NA-DA por Bangkok! Acho uma cidade meio surreal sabe? Templos riquíssimos, um patrimônio cultural de primeira e ao mesmo templo arranha-ceus de tirar o fôlego (vc foi naquele que tem o bar no topo??), camêlos espalhados por tudo que é lugar (só comia neles) e na parte meio negra um certo nojinho do ar "sexual" da cidade com aqueles gringos acompanhados de menininhas :o(
De qq forma, eu amo o lado colorido-exótico da cidade e quanto a comida tailandesa: minha favorita!!!!
Bjos

Ana Tereza Merger disse...

Oi Fê, tudo bem? Passei para uma visita e lhe convido a fazer o mesmo na http://www.naprovence.com
Se a troca de links lhe interessa é so me avisar. Seria um prazer contar com você no nosso blogroll: http://www.naprovence.com/contato/links/
Um abraço!

Anônimo disse...

Oi Fernanda

Tudo bem? Qdo vc foi? Tu achas tao critico ir em set, unico mes que posso ir?

Abs

Kallenr

criacao de sites disse...

Vendo essas fotos surge a vontade de conhecer a Bangkok.

Anônimo disse...

Deve ser um lugar encantador !!!

Parabéns pelo Blog.

Voo Fácil Taxi Aereo

Diogo Avila disse...

Oi Fernnada,
Estou de viagem marcada para lá. Você conseguiu visitar o Damnoen Saduak? Que empresa você contratou para te levar até lá?
Abraço

Vergalhão disse...

Fotos maravilhosas. Adorei seu blog, e estou adicionando seu site aos meus favoritos! Parabéns.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...